Loading

Mamoplastia de aumento X Mastopexia com prótese – Qual a diferença?

Mamoplastia de aumento X Mastopexia com prótese – Qual a diferença?

As cirurgias plásticas nas mamas estão entre as mais procuradas pelas mulheres que desejam aumentar, diminuir ou levantar os seios. No entanto, mesmo se tratando de procedimentos muito realizados e difundidos, muitos pacientes apresentam dúvidas e anseios diversos em relação às chamadas #mamoplastias. No post de hoje, iremos esclarecer quais são as principais diferenças entre a mamoplastia de aumento e a #mastopexia com prótese. Afinal, para que serve cada uma delas?

Mamoplastia de aumento

Esta é, sem dúvidas, a cirurgia plástica da mama mais conhecida. O objetivo é aumentar o volume das mamas por meio da colocação de implantes de silicone, em mulheres que naturalmente possuem seios pequenos ou desejam um volume ou projeção maior que o atual. A #mamoplastiadeaumento pode ser feita com a colocação das próteses por cima do músculo ou por baixo do músculo. A prótese por baixo do músculo é para maior projeção do implante, quando o conjunto de glândula e tecido gorduroso são escassos – essa é a principal indicação, mas também existem outras. Para saber mais sobre as técnicas de colocação das próteses, leia o texto que escrevemos sobre o assunto no mês passado: aqui

Em relação ao tamanho dos implantes, esta é uma decisão do cirurgião em conjunto com a paciente, levando em conta as características individuais do corpo e as expectativas da mulher. A técnica cirúrgica consiste em realizar um pequeno corte nos seios, podendo ser em torno da aréola, na parte inferior da mama (sulco submamário) ou na axila, por onde é introduzido o implante. As cicatrizes são geralmente muito discretas, dependendo da dos locais onde foram feitos os acessos e da qualidade de pele da paciente.

Mastopexia com prótese

Muito conhecida como “mamas caídas”, a #mastopexia com prótese visa levantar os seios com queda (ptose mamária), reposicionando as aréolas, e restaurar ou aumentar o volume das mamas. Esta cirurgia é indicada para pacientes que possuem grau elevado de flacidez da pele, seja devido à perda de peso abrupta, aos efeitos da gravidez e da amamentação ou à tendência genética. É importante ressaltar que a queda das mamas pode ocorrer em qualquer faixa etária, inclusive em pacientes jovens.

O procedimento cirúrgico consiste em remover o excesso de pele, remodelar as mamas, ajustar o tecido e reposicionar as aréolas de forma estratégica. Além disso, esta cirurgia pode ou não ser associada com o uso de implantes de silicone. Só o cirurgião pode afirmar se a mastopexia deve ou não ser feita em conjunto com a mamoplastia de aumento, avaliando a qualidade e quantidade de tecido mamário e de gordura nos seios.

As cicatrizes são permanentes, mas podem ser muito discretas e pouco perceptíveis. O acesso para esta cirurgia pode ser ou não realizado em forma de T invertido, isso dependerá da quantidade (maior ou menor) de tecido de pele a ser removido.